quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Pequim ou Beijing?

Essa dúvida pega muita gente aqui no Brasil. Desde minha época de escola (e com você não deve ter sido diferente), ensinavam que a capital da China é Pequim. Mas porque será que vemos tanto a palavra Beijing referindo-se ao mesmo local? Na imprensa brasileira, por exemplo, encontramos veículos de comunicação que usam essa segunda denominação em matérias ou até mesmo nome de programas e quadros em tele-jornais esportivos. Na realidade as duas denominações da capital chinesa estão corretas. O departamento cultural da Embaixada da República Popular da China no Brasil nos ensinou que ambos são transcrições fonéticas do nome original. Pequim é baseada na fonética portuguesa, por isso sempre foi utilizada assim no Brasil. Já Beijing, mais próximo a fonética original, acabou sendo adotada por quase todos os países do globo. Os chineses, mesmo, quando escrevem o nome da capital em nosso alfabeto usam esta forma de transcrição. Aqui no Brasil as duas maneiras são aceitas, embora a mais próxima da real pronuncia seja Beijing, denominação adotada em nosso weblog.
Mas vamos saber um pouquinho mais desta cidade com história secular? O surgimento de Beijing (ainda sem esse nome) ocorreu em meados do século XIII graças a influencia direta de grandes lideres conquistadores mongóis como Genghis Khan e Kublai Khan. Este último, inclusive, a institui como capital da sua força (Beijing fica bem ao norte da China, próxima a Mongólia) já visando a conquista de todo o império chinês. Mas seus planos em se tornar imperador não se concretizaram. Em 1403, Zhu Di (terceiro imperador da dinastia Ming) transferiu a capital de seu império para aquela cidade, a partir daí batizando-a de Beijing, que significa ‘Capital do Norte’.
A Cidade Proibida (um dos pontos turísticos mais conhecidos de lá e cujo portão principal pode ser visto na foto ao lado) foi construída entre 1406 e 1420. Era a residência oficial do Imperador e toda sua corte, sendo que aquele nome só foi determinado séculos mais tarde como contamos mais à frente nesta matéria. Em 1911 o império caiu e foi instaurada a Republica da China com a transferência da capital para Nanjing. A antiga capital foi então renomeada como Beiping (Cidade da Paz). E esse ‘troca-troca’ histórico continuou agora em mãos japonesas. Durante a 2º Guerra Nipo-Chinesa, o Japão invadiu o norte daquele país-continente e a partir de 29 de julho de 1937 tomou posse da cidade. Foi instituído um governo provisório do norte orquestrado pelo império japonês até a rendição deles ao final da 2ª Guerra Mundial em 15 de agosto de 1945. Pouco depois, a partir de janeiro de 1949, veio a revolução comunista e Mao Tse Tung criou a República Popular da China, devolvendo o nome original a Beijing e o status de capital federal. Com isso, o antigo palácio do Imperador foi fechado a sete chaves e o local recebeu a denominação de Cidade Proibida, título que permaneceu mesmo depois da abertura dos seus portões ao turismo. Dois outros pontos históricos da cidade são o Templo do Céu (construído em 1420) e a Praça da Paz Celestial (que após ter sido incendiada por duas vezes, foi reconstruída em 1651). Esse local também foi amplamente divulgado pelo mundo, numa história mais recente, com gigantescos protestos populares (maio e junho de 1989). Neste triste episódio da história, morreram milhares de estudantes chineses dizimados covardemente pelo exército comunista.
Mas uma cena eternizou-se como símbolo da resistência popular. Quem não se lembra dos tanques de guerra invadindo o espaço daquela praça e sendo enfrentados corpo-a-corpo por aquele jovem estudante?
Nas próximas semanas vamos contar e relembrar outras histórias interessantes de Beijing. Hoje mais reconhecida como uma verdadeira capital do esporte mundial.

6 comentários:

Cacau disse...

Pô, eu lembro daquela imagem na tv... os tanques tentavam desciar do cara, mas ele sempre ficava na frente deles... ele não morreu, né?
Abr.
Cacau

Marina disse...

Tato, amei seu blog!!

Sabe, estive nas Olimpíadas de Atenas e fiquei viciada em acompanhar todas as modalidades! Os esportes realmente dão um sentido mais amplo à existência humana. Parabéns!!! Vou acompanhar seus ótimos textos!!

Ah, e obrigada por visitar os meus blogs http://www.marina-conversafiada.blogspot.com
e
http://ponhabocanotrombone.blogspot.com

Valeu!!

Adalberto Serrão disse...

Puxa, outro dia entrei aqui no seu blog e deixei uma pergunta. Vi agora q vcs me responderam. Brigadão pela atenção...
Abr. e sucesso!
Adalberto

contos e charges disse...

Sempre bom aprender um pouco mais, eu mesmo já havia escrito meio psicografado um conto que de maneira imaginária trazia uma certa proximidade do Brasil com A China "O Clone do Paraguai", mas agora somei um pouco mais sobre este país. Parabéns pela iniciativa seu blog é interessante.
www.ilustraconto.blogspot.com
abraço, Roberto

Caio Domingues disse...

Olá! Vi seu site e gostei. Posso indicá-lo para a lista os blogs Da Hora? Entre em http://www.dahoraonline.com.br/blogsdahora/blogs.php e saiba como funciona.

gabriela disse...

quero decobrir as conquistas olimpicas brasileira do ano de 1896 ate 2004